Prêmio Nacional Ideal Clube de Literatura

27 09 2009

REGULAMENTO

O I Prêmio Nacional Ideal Clube de Literatura – 2009, Prêmio Gerardo Mello Mourão, promovido pelo Ideal Clube, é instituído para propiciar a edição de livros a autores inéditos, bem como para incentivar, mediante concurso, a criação literária inédita no gênero POESIA, sendo regido pelas cláusulas e condições aqui discriminadas.

I. Área do Concurso
1. Livro Publicado ou Livro à Publicar
2. Textos Inéditos

II. Inscrições e apresentação dos trabalhos
1. Para Livro Publicado ou Livro à Publicar

a) Poderão inscrever-se candidatos residentes em qualquer parte do território nacional.
b) Os textos que irão compor o livro deverão ser absolutamente inéditos e escritos em Língua Portuguesa, pois, uma vez já publicados, quer o todo ou uma parte, implicará o fato sua eliminação a qualquer tempo do certame.
c) Cada livro deverá ser apresentado em 3 (três) vias, em papel tamanho A4 (210mm x 297mm), em espaço 2 (dois ou duplo), digitado de um só lado do papel, sem rasuras ou emendas manuais, com uso da fonte Times New Roman, tamanho 12, tendo todas as páginas numeradas de 01 a 80 (no mínimo) ou de 01 a 100 (no máximo).
d) É necessária, também, a apresentação dos trabalhos eletronicamente em CD-R, a serem validados no ato da inscrição, e com etiqueta contendo o nome do concurso e o pseudônimo do autor.
e) Os concorrentes já inscritos em outros Prêmios Ideal Clube de Literatura não poderão usar neste os pseudônimos naqueles já por eles utilizados.
f) No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar as cópias do livro em um pacote lacrado; dentro deste, deve estar um envelope, também lacrado, contendo, internamente, o nome completo do concorrente, seu endereço, seu telefone, com uma fotocópia da Carteira de Identidade; e externamente, etiqueta com as seguintes informações: nome do concurso, área de inscrição, título do livro e pseudônimo do autor.
g) Também no ato da inscrição, o candidato deverá apresentar outro envelope, contendo internamente: o CD-R, onde deverá estar digitado o livro, Curriculum do autor; externamente, etiqueta de identificação contendo as seguintes informações: nome do concurso, área de inscrição, pseudônimo do autor e a palavra “Curriculum”.
h) Cada participante poderá inscrever apenas 1 (um) livro, com as devidas páginas numeradas de 01 a 80 (no mínimo) ou de 01 a 100 (no máximo), sendo a página 01 o início do primeiro poema.
i) As inscrições poderão ser feitas pessoalmente pelo concorrente ou por um representante seu, na Secretaria do Clube, no período de 06 de julho a 30 de setembro, de 8h às 12h e de 14h às 18h.
j) As inscrições também poderão ser feitas via correio, obedecendo às recomendações já expostas, com o seguinte destino: Ideal Clube, Av. Monsenhor Tabosa, 1381; Bairro Meireles; CEP 60165-011.
k) É vedada a inclusão – sob pena de eliminação do candidato – de qualquer elemento que permita a identificação do autor.
l) Os requisitos acima deverão sem cumpridos rigorosamente no ato da inscrição, sem o que os trabalhos não serão aceitos pela Secretaria do Clube.

2. Para Textos Inéditos

a) Poderão inscrever-se candidatos cearenses, residentes em qualquer parte do território nacional, e não cearenses, residentes no Estado do Ceará.
b) Os textos deverão ser absolutamente inéditos e escritos em Língua Portuguesa, pois, uma vez já publicados, quer o todo ou uma parte, implicará o fato sua eliminação a qualquer tempo do certame.
c) Cada trabalho deverá ser apresentado em 3 (três) vias, contendo o pseudônimo, em papel tamanho A4 (210mm x 297mm), em espaço 2 (dois ou duplo), digitados de um só lado do papel, sem rasuras ou emendas manuais, com uso da fonte Times New Roman, tamanho 12, tendo todas as páginas numeradas, em número máximo de 5 (cinco) para cada poema.
d) É necessária, também, a apresentação dos trabalhos eletronicamente em CD-R, a serem validados na ato da inscrição, e com etiqueta contendo o nome do concurso e o pseudônimo do autor.
e) Os concorrentes já inscritos em outros Prêmios Ideal Clube de Literatura não poderão usar neste os pseudônimos naqueles já usados.
f) No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar um envelope, contendo internamente as vias do trabalho; e externamente, etiqueta com as seguintes informações: nome do concurso, área de inscrição, títulos dos trabalhos e pseudônimo do autor. Outro envelope, a ser lacrado no ato da inscrição, contendo internamente: o CD-R com os trabalhos digitados e um breve Curriculum do autor (5 linhas), cujo modelo se encontra à disposição dos interessados na Secretaria do Clube; externamente, etiqueta de identificação contendo as seguintes informações: nome do concurso, área de inscrição, pseudônimo do autor e a palavra “Curriculum”.
g) Cada participante poderá inscrever no máximo (2) dois, com o máximo de 5 (cinco) páginas cada um.
h) É vedada a inclusão – sob pena de eliminação do candidato – de qualquer elemento que permita a identificação do autor.
i) Os requisitos acima deverão ser cumpridos rigorosamente no ato da inscrição, sem o que os trabalhos não serão aceitos pela Secretaria do Clube.

III. DA CLASSIFICAÇÃO E PREMIAÇãO

1. Livro Publicado ou Livro à Publicar

b) Será classificado apenas 1 (um) livro em primeiro lugar.
c) O livro classificado em primeiro lugar receberá, como prêmio, a quantia de R$ 30.000,00, bem como a sua edição, sendo esta de 500 exemplares, sob responsabilidade do Clube.
d) Para o lançamento ao público dessa obra, o Ideal Clube patrocinará, também, os convites e o coquetel da festa – caso necessário, também, a passagem aérea e a hospedagem.

2. Textos inéditos

a) A Comissão, em seu julgamento final, selecionará 3 (três) trabalhos para a premiação, classificando-os de 1º a 3º lugar.
b) O autor classificado em 1º lugar receberá o prêmio de R$ 7.000,00 (sete mil reais); o classificado em 2º lugar receberá o prêmio de R$ 5.000.00 (cinco mil reais); o classificado em 3º lugar receberá o prêmio de R$ 3.000.00 (três mil reais).
c) O Ideal Clube publicará o livro “Coletânea”, contendo os trabalhos selecionados até o 50º colocado.
d) Cada autor que tiver seu trabalho inserido no livro receberá 10 (dez) exemplares do mesmo; e os demais, um exemplar cada.

IV. Local e prazo

a) As inscrições estarão abertas a partir do dia 06 de julho ao dia 09 de outubro de 2009, na Biblioteca do Ideal Clube, à Rua Monsenhor Tabosa, 1381 – Fortaleza – CE, fone: 3248. 5688 – ramal 35, local em que deverão ser entregues os trabalhos concorrentes.

V. Comissão Julgadora – Prazo

a) A Comissão Julgadora será composta de quatro intelectuais de nomeada no Estado ou no País, sendo os seus nomes mantidos em sigilo até a data da proclamação dos vencedores.
b) É vetada a participação no mesmo jurado em mais de dois Prêmios Ideal de Literatura, consecutivos.
c) As decisões da Comissão Julgadora serão irrevogáveis.
d) A Comissão terá de 11 de setembro a 6 de novembro para julgar os trabalhos.
e) A Comissão entregará até o dia 6 de novembro de 2009 à Diretoria de Cultura e Arte do Ideal Clube o livro classificado em primeiro lugar, bem como os textos inéditos que irão compor a “Coletânea”.

VI. Proclamação dos Resultados e Entrega dos Prêmios

a) Os vencedores do presente concurso, nas duas áreas de inscrição, serão conhecidos e proclamados no dia 19 de novembro, em solenidade a ser realizada no Salão Nobre do Ideal Clube, às 20h.
b) Nessa ocasião, será feita a entrega dos prêmios, bem como o lançamento do livro “Coletânea”, com a entrega dos exemplares.

VII. Disposições Finais

a) Os trabalhos inscritos nesse concurso não serão devolvidos.
b) Os prêmios, nas duas áreas, sob nenhuma hipótese, serão divididos, devendo a Comissão Julgadora, por unanimidade ou por maioria simples, definir-se por uma obra concorrente.
c) A inscrição do candidato e a entrega dos trabalhos e/ou obra publicada subentende o conhecimento e aceitação deste regulamento, bem como a autorização para a publicação dos mesmos, caso selecionados, no livro “Coletânea”.
d) Os membros do Conselho Curador de Cultura, a Diretoria do Clube e seus dependentes, bem como os dirigentes das entidades que prestam Apoio Institucional (item IV – a) ficam expressamente proibidos de participar deste concurso.
e) Os casos omissos serão resolvidos pelo Presidente do Ideal Clube, ouvida a Diretoria e o Conselho Curador de Cultura, os quais não poderão, entretanto, alterar as normas aqui instituídas.

VIII. Mais informações: ideal.clube@terra.com.br

SECRETARIA DO IDEAL CLUBE
(8h às 12h)
BIBLIOTECA DO IDEAL CLUBE
(14h às 20h) Sra. Lane Almeida
(085) 3248-5688
Av. Monsenhor Tabosa, 1381 | Meireles | CEP 60165-011 Fortaleza – Ceará – Brasil
http://www.idealclube.org.br/

Fonte: Concursosliterarios.com.br

Anúncios




UFC lança edital pra vestibular 2010. Cariri tem quatro novos cursos

9 08 2009

Estarão abertas, de 1º de setembro a 4 de outubro, exclusivamente pela Internet, as inscrições para o Vestibular 2010 da Universidade Federal do Ceará. O Edital Nº 02/2009 foi lançado no fim da manhã desta sexta-feira ,7, e já está disponível no site da Coordenadoria de Concursos (CCV) da UFC (www.ccv.ufc.br). Um total de 5.504 vagas é ofertado no Vestibular deste ano – 1.020 a mais que o de 2009 –, distribuído entre os campi de Fortaleza, Quixadá, Cariri e Sobral.

De acordo com o Pró-Reitor de Graduação da UFC, Prof. Custódio Almeida, a principal novidade do Vestibular 2010 é a oferta de 19 novos cursos – dentre eles, os de Engenharia Ambiental, Engenharia de Petróleo, Biotecnologia, Fisioterapia e Cinema e Audiovisual (confira a lista completa no fim do texto).

Além disso, 200 novas vagas serão destinadas a 12 cursos já existentes. É o caso de Medicina, que terá dez a mais, em cada um dos campi onde é ofertada (Cariri, Fortaleza e Sobral).

Também serão ampliados os cursos de Administração (Cariri), Agronomia (Cariri), Biblioteconomia (Cariri), Ciências Biológicas (Fortaleza), Ciências Econômicas (Sobral), Engenharia Civil (Cariri) e Teleinformática / noturno (Fortaleza) – cada um com dez vagas a mais.

Já o curso de Educação Física (Fortaleza)  ganhará 50 novas vagas e o curso de Sistemas de Informação (Quixadá) aumentará de 40 para 50 vagas.

De acordo com o Edital, a Prova de Conhecimentos Gerais (primeira etapa) ocorrerá em 15 de novembro. Já a Prova de Conhecimentos Específicos e a Redação (segunda etapa) estão marcadas para 6 e 7 de dezembro, respectivamente.

Outras informações sobre o processo seletivo estão disponíveis no site da CCV.

Confira os novos cursos da UFC:

Fortaleza
Artes Cênicas (licenciatura): 40 vagas
Biotecnologia (bacharelado): 50
Ciências Ambientais (bacharelado): 40
Cinema e Audiovisual (bacharelado): 40
Engenharia Ambiental (profissional): 40
Engenharia de Energias Renováveis (profissional): 40
Engenharia de Petróleo (profissional): 40
Fisioterapia (profissional): 40
Gastronomia (bacharelado): 40
Letras/Espanhol (licenciatura): 50
Letras/Inglês (licenciatura): 50
Sistemas e Mídias Digitais (bacharelado): 60

Cariri
Comunicação Social/Jornalismo (bacharelado): 50
Design de Produto (tecnólogo): 50
Educação Musical (licenciatura): 40
Engenharia de Materiais (profissional): 50

Quixadá

Engenharia de software (bacharelado): 50
Redes de Computadores (tecnólogo): 50

Sobral
Finanças (bacharelado): 50

Fonte: Portal da UFC





Turismo do Cariri desprestigiado

28 07 2009

     O Governo do Estado do Ceará lançou uma propaganda televisa que vem sendo veiculada em canais de TV nos Estados Unidos (incluindo a CNN) e na Europa. Nesses comerciais, que visam a atrair turistas estrangeiros para o estado, só há referência à Fortaleza e ao litoral do Ceará – “sunshine all the time!” – diz o locutor.

    Nenhuma palavra, nenhuma imagem a respeito do Cariri (e do interior do estado como um todo). Também, a julgar pelo nosso precário aeroporto, pelas estradas ruins que nos ligam à capital e pela rede hoteleira e de serviços despreparada para atender a esse tipo de público, esperar o que? Talvez no dia em que dotarem nossa região de infraestrutura adequada pra isso, valerá a pena investir para atrair turistas internacionais pra cá, afinal o que não faltam são potencialidades para isso. Só falta visão.

Joaseiro.com





Cine Ceará sem Ceará

28 07 2009

Hoje começa em Fortaleza mais uma edição do Cine Ceará, um dos principais eventos de cinema do país. Sabem quantos filmes cearenses estão na mostra competitiva? Nenhum.

Também, registre-se, nenhum espaço de Juazeiro, Crato, Barbalha, cariri ou região distante da capital jamais foi montado para receber uma sequer exibição dos filmes da mostra competitiva. Nada, é como se não existíssemos. E o evento é bastante conhecido, por ser o 4o. maior festival de cinema do Brasil, atrás de Gramado, Brasília e Pernambuco, com seus respectivos festivais, e também receber um imenso apoio do Governo do Estado. Leia-se: o governo do Estado devia investir no Estado e não somente em Fortaleza.

Temos uma faculdade estadual de Artes, mas nenhum curso de cinema, nenhum apoio ao audiovisual.

O Cine Ceará devia chamar-se Cine Fortaleza.

Joaseiro.com





Saiu por aí

25 07 2009

Tasso afirma na convenção do PSDB em Crato que Ceará precisa de “sangue novo”.

Ora, por que ele não é o primeiro a se retirar da vida pública então, já que representa grande parte das práticas de atraso na política brasileira?

P.S.: Aproveitando o comentário a respeito de Tasso e do seminário do PSDB do Crato, é engraçado ver como as mesmas pessoas do Crato que vivem se maldizendo pela decadência política e econômica naquela cidade nos últimos anos são as mesmas pessoas que exaltam a figura de Tasso, um dos responsáveis por concentrar investimentos públicos na capital do Estado e desprezar o interior. Essas figuras também andam ensaiando o apoio à chapa Tasso-Samuel Araripe para o governo do Estado. É justo, quem sabe assim consigam pular de um emprego municipal para um emprego estadual… Quanta hipocrisia!

Joaseiro.com





Jereissati tem sonhos e esperanças, mas está com muitos medos, do passado, presente e futuro

23 07 2009

Em 2001, governador, faliu o Banco do Ceará. Foi processado. Em 2002, eleito senador, o processo foi engavetado, não se movimentou até hoje, quase 7 anos. Isso no Supremo.

Seu mandato acaba em 2010, junto com a ex-do Ciro (ela não se reelege, deve ser candidata a deputado), corre perigo. Daí a fúria sanguinária contra a Petrobras. Esta é a sua alavanca eleitoral, mas os adversários são a prefeita (reeeleita) Luizianne Lins e o ex-Ministro Eunício Oliveira.

Há também o componente do ódio. (Guardado no freezer, como dia Tancredo Neves). O ocupante de uma das mais importantes diretorias da Petrobras (a Transpetro) é Sergio Machado, ex-amigo e ex-senador, agora irreconciliáveis.

Sergio machado foi indicado para essa poderosa Transpetro pelo senador Renan Calheiros. E apesar de toda a reviravolta que houve na Petrobras e no Senado, o indicado de Renan continua cada vez mais forte e intocado.

Esse prestígio do ex-amigo, Jereissati não pode suportar. Houve um tempo em que no Ceará existia um trio invencível, que dominava o estado do ponto de vista municipal, estadual e federal: Jereissati – Ciro Gomes – Sergio Machado. Os três intocáveis, invencíveis, irrefutáveis. Ciro foi governador, Jereissati governador, quando chegou a vez de Sergio ser governador, os dois se voltaram contra ele.

Não só não foi governador, como não teve legenda para se reeleger no Senado, seu mandato acabou. Foi apadrinhado, protegido e amparado por Renan Calheiros.

Jereissati sempre desejou a glória, o pedestal, achava que tinha direitos aos seus quinze minutos de fama, mas não só não sabia como reivindicá-los, como não tinha a menor idéia de quem fosse Andy Warhol e o que representava.

No Ceará, ninguém sabia quem era Tasso Jereissati, todos conheciam e admiravam Edson Queiroz. E a única hipótese do “rei do gás” admiti-lo foi como aconteceu, sobre isso não tinha o menor controle.

Edson Queiroz viveu pouco, um desastre de avião. Se tivesse vivido mais tempo, teria constatado que nada era a sua intuição e observação e sim realidade pressentida. Jereissati é um desastre, embora se julgue cada vez mais homem insubstituível quando é apenas insuportável.

Jereissati hoje é um homem dominado pelo medo. Do processo no Supremo, pela falência do Banco do Estado do Ceará. (Apesar da força que o Ministro Gilmar fez para alertá-lo, chegando a se arriscar indo ao Ceará e se hospedando no hotel luxuoso da família-empresa).

Teve medo do processo no qual tentava salvar Jereissati pessoal, com a firma da qual Jereissati era o maior acionista. Teve sorte. O relator, Joaquim Barbosa, depois de massacrá-lo, mandou arquivar o processo.

*  *  *

PS- Tem medo que a Petrobras ou a Petrobras pré-sal mergulhem-no na profundidade em que sabem que ele também tem grande conhecimento, só que é uma profundidade pessoal e intransferível.

PS2- Finalmente, tem medo que Sergio Machado venha a ser testemunha, provocando o último e o mais terrível de seus medos: a perda do mandato e o mergulho no ostracismo do qual jamais saiu. Embora pense (?) rigorosamente o contrário.

Helio Fernandes

Fonte: http://www.tribunadaimprensa.com.br





Recordações

11 07 2009

Cidade de cor

Por Evelyn Onofre*,

Minha pequena cidade é colorida em tudo
Composta por cores quentes e vibrantes
O calor alaranjado do sol, a avermelhada dor do povo
Os muros pintados com as mãos,
São alegorizados por frases de palavras pequenas
Para tocar realmente quem se aproxima

Minha pequena cidade também tem um lado
Meio branco e preto, meio amarelado
Cores corroídas pelo tempo, e pelas mãos de novos jovens
São os mesmos lugares com as mesmas pessoas
As praças com os velhinhos da vida inteira – parece que não morrem nunca
Jogando dominó, porrinha, bebendo cachaça, fazendo poesia ou
Cantando a gafieira do Moreira, relembrando setembros passados

Minha pequena cidade também tem um lado só verde
Cheiro de árvores de troncos largos, cheiro do sul do estado, do sertão
Com velhos sítios cheios de armadores e com mesas grandes
Colheres de pau, caldeirões de sopa e pilão pra fazer paçoca
Mais atrás, no quintal, tem poleiro, varal, horta e sombra pra dedéu
Esse lugar é pra relembrar, com cheiro e tudo, a vida do nosso avô na terra ou no céu

Minha cidade tem cor de saudade, coisa mesmo de interior
De amigos que vão e voltam, só pra reviver a mesmice
É o primeiro nome da lista de viagens cheias de ansiedade
Principalmente em julho, mês do clima bom pra chegar mais perto
E enquanto não voltamos, ficamos aqui, só resmungando, não que seja ruim
Mas a cidade da nossa infância, geralmente é mais querida, mais saudosa

Minha cidade tem o céu mais azul, as nuvens mais brancas
A lua é tão cheia de vida que dá até pra ver São Jorge no cavalo
O calor mais quente e o frio tão atraente
Minha cidade é mesmo de cor, cor dos que voltam sempre
Cheia de verde, cheia de rosa, cheia de água, mas nada de mar
Cidade sem cartão-postal, mas com visita garantida dos que regressam

Sítio no Conjunto Cohabece

Sítio no Conjunto Cohabece (Evelyn Onofre)

Clique na imagem para ampliar.

Joaseiro.com

* Texto e fotografia enviados pela leitora, estudante de comunicação social, fotógrafa e hoje residente em Fortaleza – CE.

Cidade de cor

Minha pequena cidade é colorida em tudo

Composta por cores quentes e vibrantes

O calor alaranjado do sol, a avermelhada dor do povo

Os muros pintados com as mãos,

São alegorizados por frases de palavras pequenas

Para tocar realmente quem se aproxima

Minha pequena cidade também tem um lado

Meio branco e preto, meio amarelado

Cores corroídas pelo tempo, e pelas mãos de novos jovens

São os mesmos lugares com as mesmas pessoas

As praças com os velhinhos da vida inteira – parece que não morrem nunca

Jogando dominó, porrinha, bebendo cachaça, fazendo poesia ou

Cantando a gafieira do Moreira, relembrando setembros passados

Minha pequena cidade também tem um lado só verde

Cheiro de árvores de troncos largos, cheiro do sul do estado, do sertão

Com velhos sítios cheios de armadores e com mesas grandes

Colheres de pau, caldeirões de sopa e pilão pra fazer paçoca

Mais atrás, no quintal, tem poleiro, varal, horta e sombra pra dedéu

Esse lugar é pra relembrar, com cheiro e tudo, a vida do nosso avô na terra ou no céu

Minha cidade tem cor de saudade, coisa mesmo de interior

De amigos que vão e voltam, só pra reviver a mesmice

É o primeiro nome da lista de viagens cheias de ansiedade

Principalmente em julho, mês do clima bom pra chegar mais perto

E enquanto não voltamos, ficamos aqui, só resmungando, não que seja ruim

Mas a cidade da nossa infância, geralmente é mais querida, mais saudosa

Minha cidade tem o céu mais azul, as nuvens mais brancas

A lua é tão cheia de vida que dá até pra ver São Jorge no cavalo

O calor mais quente e o frio tão atraente

Minha cidade é mesmo de cor, cor dos que voltam sempre

Cheia de verde, cheia de rosa, cheia de água, mas nada de mar

Cidade sem cartão-postal, mas com visita garantida dos que regressam